O Gordo vira Passarinho


Sementes germinadas. Esta é grande inovação na alimentação dos nossos dias.

Parece que estamos a voltar aos tempos da primária, quando a professora nos pedia para trazer um feijão ou uma semente de casa, embrulhá-la num algodão húmido dentro de um copo de vidro e esperarmos pelo seu crescimento. Era um misto de sensações de impaciência (nunca mais demorava a crescer o raio da semente) e de incredibilidade (como é que uma pequena semente num algodão húmido podia dar origem a uma planta? Só podia ser magia, pensavamos nós nessa altura).

A verdade é que ando muito próximo desses dias. Virei um pseudo agricultor "homemade edition".

O processo de germinação é bastante simples de pôr em prática e fica muito em conta. Não é necessário perder tempo a comprar terra, fertilizantes (muitos deles com quimicos adicionados), vasos e pior do que isso saber se é a altura ideal para plantar o nosso alimento e se ele vai realmente crescer. Aqui, nesta forma de germinação de hidroponia, a nossa única despesa provém da compra das sementes da nossa escolha, o resto é tudo items que temos em casa aos montes (pratos de sopa ou caixas herméticas e àgua da companhia).

Posso dizer-vos que já consegui produzir com sucesso várias espécies diferentes (a que vêm na imagem é a Alfafa - muito boa por sinal). As escolhas são praticamente ilimitadas e dão para todos os gostos. Podem escolher sementes de espécies do nosso quotidiano (como os bróculos, o girassol, agrião, mostarda, rúcula, grão. ervilha) ou então quererem ser "out of the box" e escolher espécies mais peculiares (soja, alfafa, rabanete, couve rocha, feno grego, lentilhas, feijão mungo).

Façam o teste em casa e espantem-se com o sabor inacreditável destas miniaturas. Vão ficar fãs tal como eu fiquei.

Um abraço,

O Gordo.


O Gordo tem nome

1 comentário:

  1. Gostei bastante da sugestão!
    Abraços
    http://themarielement.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Instagram